segunda-feira, 1 de junho de 2009

010609 - PESQUISA CNT/SENSUS

CNT/Sensus: Dilma cresce e Serra cai em pesquisa estimulada


Ela aparece com 23,5% das intenções de voto, contra 16,3% em março.Em março, 45,7% votariam em Serra, contra 40,4 da atual pesquisa.
Diego Abreu Do G1, em Brasília



Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira (1) mostra crescimento da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, na preferência dos brasileiros para as eleições presidenciais de 2010. Na última pesquisa estimulada, realizada em março, ela tinha 16,3% das intenções de voto, contra 23,5% no levantamento apresentado nesta manhã. Enquanto a petista subiu, o governador de São Paulo, José Serra, registrou uma leve queda, de 45,7% para 40,4%. Em relação a última pesquisa, divulgada no dia 30 de março, Dilma cresceu 7,2 pontos percentuais, enquanto o governador de São Paulo caiu 5,3 pontos na avaliação dos 2 mil entrevistados. No cenário, em que Dilma representa o PT e Serra, o PSDB, a candidata do PSOL Heloísa Helena aparece com 10,7%.
Já na pesquisa espontânea, há um empate técnico entre Dilma e Serra. A petista aparece com 5,4% nas intenções de voto, enquanto o tucano tem 5,7%. Nesta modalidade espontânea, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o mais citado, com 26,2%.
Em um eventual segundo turno, Serra teria hoje 49,7% da preferência, e Dilma, 28,7%. No cenário em que o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, é o candidato do PSDB, Dilma aparece como favorita, com 27,8% contra 18,8% do tucano. Em março, a petista tinha 19,9% da preferência do eleitorado, enquanto Aécio, 22%. Já na lista em que o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) é o candidato apoiado pelo governo, José Serra lidera a disputa com 44,2%, contra 14,3% de Ciro e 13,5% de Heloísa Helena. Para o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, Dilma já supera Aécio por estar mais vinculada a imprensa em nível nacional. Segundo ele, porém, a pesquisa ainda mostra indefinição do eleitorado. “O eleitor ainda não decidiu o critério que vai usar na eleição de 2010”, explicou. Segundo Guedes, o crescimento de Dilma também está ligado à forma como o governo federal tem enfrentado a crise financeira internacional e ao começo da exposição dela como candidata do PT à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele também avaliou que parte dos votos de Ciro Gomes têm migrado para Dilma. A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 29 de maio. Foram entrevistadas 2.000 pessoas em 136 municípios de 24 estados. A margem de erro é de três pontos percentuais.



Rejeição
Dentre os pesquisados, 94,9 % responderam que conhecem ou já ouviram falar em José Serra, enquanto 72% disseram conhecer ou já ter ouvido falar na ministra Dilma. Quanto a Aécio Neves, o índice chegou a 65%, e Ciro, 86,4%. No quesito rejeição dos candidatos, Dilma aparece apenas atrás de Ciro Gomes, que tem índice de rejeição de 33,9%. Segundo os dados do Instituto Sensus, 32,4% dos eleitores responderam que não votariam na ministra. Outros 19,5% disseram que ela era a única candidata em que votariam, enquanto 35,1% falaram que poderiam votar na petista. Quanto a Aécio Neves, 28,4% dos eleitores disseram que não votariam nele. A pesquisa mostra que 9,3% dos entrevistados responderam que só votariam em Aécio, e 43,5%, que poderiam votar. José Serra registrou índice de rejeição de 25,9%, percentual de pessoas que responderam que não votariam no governador. 19,4% disseram que só votam nele, enquanto 43,8% responderam que poderiam votar em Serra.

Avaliação positiva do governo Lula sobe para 69,8%, diz CNT/Sensus
Em março, índice era de 62,4%. Houve alta de 7 pontos percentuais.Já a aprovação pessoal de Lula cresceu para 81,5%.




Diego Abreu Do G1, em Brasília



A pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira (1) aponta que a avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu para 69,8%. Na última pesquisa, realizada em março, 62,4% dos entrevistados consideraram a gestão do governo positiva, o que significa um crescimento de 7,4 pontos percentuais. De acordo com a Confederção Nacional do Transporte (CNT), dentre os entrevistados, 5,8% desaprovam o governo de Lula, contra 7,6% em março. Já a avaliação pessoal do presidente Lula subiu para 81,5%, um índice quase 5% superior ao verificado na última pesquisa, quando o percentual era de 76,2%. Dos entrevistados, 15,7% desaprovam a maneira como Lula administra o país. Em março, 19,9% reprovavam a maneira como ele governa o Brasil.
Dentre os pesquisados, 25,5% consideram o governo ótimo, 44,3%, bom, e 5,8% avaliaram o governo como ruim ou péssimo. Para o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, um dos fatores que elevou os índices nas avaliações do governo e do presidente é a forma como o país tem enfrentado a crise financeira internacional.A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 29 de maio. Foram entrevistadas 2.000 pessoas em 136 municípios de 24 estados. A margem de erro é de três pontos percentuais.



Aprovação pessoal de Lula bate recorde e chega a 84%, diz CNT/Sensus
Governo também tem avaliação positiva recorde de 72,5%.Para CNT, discurso do presidente é muito forte e traz muita esperança
.




Jeferson Ribeiro Do G1, em Brasília



A pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira (3) mostra que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva atingiu uma nova aprovação recorde da população. Segundo o levantamento, 84% aprovam o desempenho pessoal do presidente. É a melhor avaliação já atingida por um ocupante da presidência desde o início da pesquisa, em 2001. Na última pesquisa, em dezembro passado, a avaliação pessoal de Lula era de 80,3%. Quando Lula assumiu o governo, em janeiro de 2003, sua aprovação pessoal era de 83,6%. Ou seja, o presidente tem mais apoio agora do que quando assumiu o comando do país. A avaliação do governo Lula também teve avaliação recorde, segundo a pesquisa. O levantamento revela que, para 72,5% dos entrevistados, a gestão do presidente é positiva, o que aponta para um aumento de 1,4 ponto percentual em relação ao levantamento de dezembro passado. Esse percentual representa um aumento de 15,9 pontos percentuais em relação à aprovação do governo em janeiro de 2003, quando o petista assumia o governo do país. “Há uma forte esperança no futuro, centrada no discurso e nas medidas que o governo tomou. O presidente consegue passar seu discurso positivo para a população. O discurso do presidente é muito forte e traz muita esperança”, avaliou o presidente da CNT, Clésio Andrade. O diretor do instituto Sensus, Ricardo Guedes, disse que o país vive uma onda de “Lulismo”, como já passou por outros períodos de populismo.
A pesquisa ouviu 2.000 pessoas em 24 estados e 136 municípios entre 26 e 30 de janeiro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.



FONTE: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/

2 comentários:

A.Morais disse...

Antonio.

A Dilma está em campanha ha mais de 6 meses pegando o gancho do Lula. Não tem a metade do Serra. O Serra, está quietinho e cresceu 6% am São paulo, 57% dos votos de São Paulo é muito voto. Não conte vitoria. Nas pesquisas nenhum candidato do Lula chaga aos 25%.

Antonio Correia Lima disse...

Vamos aguardar, amigo Morais